A HISTORIA DO BATIMAN

     A historia do batman

Batman é um um super-herói, personagem de histórias em quadrinhos publicadas pela editora norte-americana DC Comics, cuja primeira aparição alguns acreditam ter sido em desenhos de Frank Foster em 1932 , e que foi publicado posteriormente na revista Detective Comics #27, em Maio de 1939. Mais tarde, juntamente a Superman (também da DC Comics) e Homem-Aranha (da Marvel Comics), Batman seria um dos mais conhecidos super-heróis do mundo. Batman foi co-criado pelo desenhista

Bob Kane e o escritor Bill Finger, embora apenas Kane receba oficialmente

Bob Kane
os créditos, apesar de seus esforços para dividir os méritos na criação do personagem. Fã da cultura vampiresca, especialmente das histórias ligadas ao personagem conhecido como Drácula, Kane imaginou um herói baseado no mesmo, com roupas negras, capa vermelha e ligado ao tema dos morcegos, mas foi Finger que deu ao personagem o formato pelo qual ficaria consagrado. Apesar de oficialmente creditado a Bob Kane, os desenhos de Frank Foster II, artista ligado à indústria de publicações de Nova Iorque na década de 1930, foram considerados autênticos pela DC Comics. Mundo fictício de super-heróis da editora DC Comics (conhecido como Universo DC), Batman tem como sua identidade secreta seu alter ego Bruce Wayne, empresário, playboy e filantropo bilionário. Segundo os quadrinhos, o fato de testemunhar o assassinato de seus pais quando criança teria levado um jovem Bruce Wayne a viajar pelo mundo, tentando compreender a mente criminosa. Treinou todo tipo de artes

 marciais e técnicas de combate (o trauma de ver seus pais mortos com tiros de revolver lhe deu aversão a armas de fogo), buscando a perfeição física e intelectual. Criou um uniforme baseado numa coisa que o amedrontava quando criança: Morcegos. Ele queria que os bandidos compartilhassem do mesmo temor. E assim, passou a lutar contra o crime. Diferentemente de outros super-heróis, Batman não tem nenhum poder sobre-humano, usando apenas o intelecto, habilidades investigatórias, tecnologia, dinheiro e um físico bem-preparado em sua guerra contra o crime

Histórico

Através dos anos, a origem de Batman e o tom das histórias sofreram diversas revisões. Uniformes, parceiros e até a própria personalidade do Batman sofreram mudanças drásticas; outros, como a morte de seus pais e sua busca por justiça, ficaram intactos.

Constante em todas as versões do Homem-Morcego, Batman é o alter-ego de Bruce Wayne, milionário ou bilionário (dependendo da época), playboy, empresário e filantropo que optou por combater o crime em Gotham City após o assassinato de seus pais, o médico Thomas Wayne e sua esposa Martha Wayne.

       Era de Ouro

A origem de Batman na Era de Ouro foi mostrada pela primeira vez em Detective Comics #33, de Novembro de 1939. Apenas em Batman #47, de Junho/Julho de 1948, foi mostrada mais detalhadamente.

Segundo essas histórias, Bruce Wayne nasceu no final da década de 1910, filho do Dr. Thomas Wayne e sua mulher Martha. Bruce foi para a Mansão Wayne onde teve uma vida feliz e saudável até os oito anos, quando seus pais foram mortos por Joe Chill, um ladrãozinho de araque, quando voltavam para casa depois de assistir a um filme no cinema. Após o acontecido, Bruce foi criado na própria Mansão Wayne por seu tio, Philip Wayne.

Bruce Wayne jurou vingar-se. Treinou seu físico e intelecto, estudou diversas áreas do conhecimento que poderiam ajudá-lo em sua busca, incluindo química, criminologia, artes marciais e ginástica, bem como habilidades teatrais como disfarces, fugas e ventriloquia. Ele sabia, no entanto, que apenas essas habilidades não seriam o bastante.

Pensando nos criminosos como seres supersticiosos e covardes, Bruce Wayne pensou que seu disfarce deveria assustá-los, meter-lhes muito medo. Enquanto pensava sobre isso, um morcego entrou pela janela, inspirando-o a se tornar o Batman. Inicialmente, o Batman não foi bem aceito pela polícia, mas o Cruzado de Capa conseguiu a simpatia dos homens da lei no começo da década de 1940.

Em 1940, Bruce adotou o órfão Dick Grayson, após seus pais, os Graysons Voadores, serem brutalmente assassinados durante sua apresentação no circo em Gotham. Dick tornou-se o parceiro de Batman, Robin. Também em 1940, Batman tornou um dos membros-fundadores da Sociedade da Justiça da América .

Papel de Parede Gratuito de Quadrinhos : Batman e Robin (por Neal Adams)

Com a introdução do Multiverso da DC Comics na década de 1960, foi descoberto que o Batman da Era de Ouro vivia na Terra 2 . Também foi revelado que, em meados da década de 1950, Bruce Wayne fez parceria e se casou com a reformada Mulher-Gato, Selina Kyle . A primeira filha do casal nasceu em 1957, e chamava-se Helena Wayne. As atividades do Batman se reduziram, ficando o Cavaleiro das Trevas semi-aposentado, aparecendo apenas para resolver casos especiais. Após a aposentadoria do Comissário Gordon, Bruce Wayne tomou seu posto como comissário de polícia em Gotham City.

heropis da terra paralela
No final dos anos 1970, a vida de Bruce Wayne ficou tumultuada, enquanto ele lidava com a morte de sua esposa Selina  Após a morte de Selina, Bruce aposentou o Batman permanentemente, mas teve que voltar à ativa quando o criminoso Bill Jensen ganhou poderes sobre-humanos de um feiticeiro chamado Frederic Vaux. Jensen e Batman lutaram, enquanto Jensen usava seus poderes para destruir a si mesmo e ao Batman. Bruce Wayne foi enterrado ao lado de sua esposa Selina. Depois que Vaux foi derrotado, o feiticeiro Senhor Destino usou seus poderes para apagar de todos a lembrança de que Bruce Wayne era o Batman, fazendo com que todos acreditassem que os dois faleceram quase ao mesmo tempo

Após a mega-saga em 12 capítulos Crise nas Infinitas Terras, essa versão do Batman, bem como toda a memória de sua existência, foi apagada.

A era de ouro por varíos motivos foi denominada pelos leitores e pelos fans de Batman que é a melhor característica já vista.

Era de Prata

Dos anos 1950 aos 1970, vários elementos novos foram adicionados à origem, background e história do Batman. O Batman da Era de Prata apareceu pela primeira vez em meados da década de 1950, com uma origem que era (como revelado em várias histórias no decorrer do tempo) similar ao do Batman da Era de Ouro. Enquanto as distinções das Eras de Ouro e de Prata são úteis para discutir a evolução do personagem ao longo dos anos, essa evolução foi gradual, e não há uma história específica que diga quando a versão da Era de Ouro deu lugar à da Era de Prata. Mesmo assim, o personagem que apareceu próximo ao começo da Era de prata (meados da década de 1950) era diferente em diversos fatores quando comparado ao que ele era no final da Era de Prata (meados dos anos 1980), devido às diversas pequenas revisões e novos diretores durante as publicações das histórias.

Assim como o Batman da Era de Ouro, o Batman da Era de Prata foi criado por seus pais até os oito anos, quando testemunhou o assassinato deles por Joe Chill, sendo então criado por seu tio Philip Wayne. Bruce jurou vingar-se de todos os criminosos, dedicando sua vida a um treinamento rigoroso.

Em algum ponto no começo de seu treinamento, Bruce vestiu uma fantasia similar à do futuro Robin, recebendo, anonimamente, treinamento de um policial de Gotham, Harvey Harris . Ele e seus guardiães também visitaram Smallville (ou Pequenópolis), onde conheceu o jovem super-herói Superboy[8] e trabalhou com ele em diversos casos. Bruce Wayne freqüentou a faculdade com o propósito de estudar criminologia e cursos relacionados às leis, mas logo decidiu que ser um oficial de polícia não era o caminho que deveria seguir. Depois de se formar, Bruce, enquanto pensava sozinho em seus estudos sobre como lidar com criminosos, vê um morcego voar por sua janela, decidindo criar um uniforme de morcego e adotar o nome “Batman”.

Algum tempo depois de começar sua carreira como combatente do crime, Bruce adotou um órfão chamado Dick Grayson, cujos pais haviam sido mortos pelo gângster Boss Zucco, e o treinou como seu parceiro, Robin.

Em Detective Comics #235 (Setembro de 1956), Batman descobriu que o assassinato de seus pais não foi um acidente, mas uma “encomenda” do gângster Lew Moxon. O pai de Bruce usou uma fantasia de morcego para um baile a fantasia, no qual pegou Moxon. Jurando vingança, Moxon contratou Joe Chill para arrumar um assalto que resultasse na morte dos Wayne. Batman encontrou-se com Moxon vestindo a fantasia de seu pai (pois o seu uniforme havia sido rasgado em combate) e Moxon, reconhecendo a roupa, atravessou a rua fora da faixa de pedestres e sem olhar pros lados, assustado, e acabou atropelado por um caminhão, morrendo.

As histórias do Batman no começo da Era de Prata (fim dos 1950 e começo dos 1960) apresentavam grandes quantidades de elementos de ficção científica. A partir de Detective Comics #327, de 1964, Batman retomou sua rotina como detetive, ficando os elementos de ficção científica descartados.

Em 1969, Dick Grayson foi para a faculdade e Bruce mudou-se da Mansão Wayne para a cobertura do prédio da Fundação Wayne, mais próxima do centro da cidade, com a intenção de ficar mais próximo da cidade, sua população e os criminosos. Bruce passou a década de 1970 e o começo da década de 1980 trabalhando sozinho, ocasionalmente juntando-se com Robin e/ou Batgirl. As histórias de Batman também se tornaram mais sombrias e macabras durante esse período, com o Cruzado Encapuzado lidando com crimes cada vez mais violentos, incluindo a primeira aparição (desde a Era de Ouro) do insano Coringa.

No começo dos anos 1980, Bruce Wayne adotou um novo parceiro, após Dick Grayson decidir por começar uma carreira como um novo super-herói, o Asa Noturna. Bruce adotou um jovem, Jason Todd, que tinha uma história muito parecida com a de Dick: era acrobata de um circo cuja família foi morta por um assassino. Jason, então, tornou-se o segundo Robin

     Época Atual

Jason Todd não era filho de circenses, e sim de uma doutora e de um capanga da máfia. Foi recrutado pelo Batman ao mostrar atitude, tentando roubar os pneus do batmovel. Logo seria treinado para suceder Robin, mas era instável demais, inconseqüente e acabou morrendo nas mãos do Coringa. Porém, durante a saga Crise Infinita (2007), devido a uma reviravolta no tempo, Jason Todd acabou voltando à vida. De longe foi o menos aceito dos três parceiros do Cavaleiro das Trevas. Jason Todd foi morto pelo Coringa no capítulo “Morte em Família” de 1988 (versão brasileira) onde Batman priva Jason de lutar contra o crime como Robin. Tudo porque Todd investe numa fúria incontrolável contra os criminosos. Jason acaba fugindo de Bruce numa tentativa de encontrar sua verdadeira mãe. Tudo isso acaba quando Jason encontra sua mãe e descobre seu envolvimento com o Coringa. na sequência, sua mãe arma uma arapuca para jason após a revelação de que ele era o próprio Robin, e entrega o menino prodígio ao palhaço do crime. Que resulta na morte de Jason e sua mãe já traída

    Batman: Ano Um

Após a série de 12 números Crise nas Infinitas Terras, a DC recomeçou ou revisou as histórias de alguns de seus mais famosos personagens, numa tentativa de atualizá-los para os novos leitores que surgiam. Frank Miller foi o responsável pela renovação da origem do Batman, escrevendo a mini-série Batman: Ano Um, que deu à origem do Cavaleiro das Trevas um tom sombrio. Diferentemente do Superman e da Mulher Maravilha, alguns elementos do Batman da Era de Prata permaneceram no universo pós-crise. O passado de Jason Todd, no entanto, foi alterado, ficando o garoto agora órfão de um ladrão insignificante, que tentou roubar os pneus do Batmóvel. Também foi eliminado Philip Wayne, que nas versões anteriores fora o tutor de Bruce após a morte de seus pais, ficando o jovem sob a tutela do mordomo, Alfred. Nessa história, Bruce Wayne decide se tornar o Batman pelos mesmos motivos das Eras anteriores, mas agora ele é inspirado também em um acontecimento quando era criança, antes de seus pais morrerem, quando caiu em um buraco nos jardins da Mansão Wayne e se assustou com centenas de morcegos que voaram assustados por sua presença. Juntando isso ao morcego que entrou voando por sua janela, Bruce Wayne vestiu o manto do Batman, com o intento de causar pavor nos bandidos. Sob juramento, Bruce Wayne jamais mataria um homem, usando-se apenas de seu intelecto, perícia investigativa e físico preparado para levar os criminosos às autoridades.

   Morte na Família

A evolução de Batman continuou através da década de 1980, até 1988, quando, na história “Morte em Família”, os leitores americanos votaram pela morte do segundo Robin, Jason Todd. Entretanto, essa morte vem sendo questionada ultimamente, graças a um curioso acontecimento: Jason Todd voltou a vida. Em Batman #637, o Cavaleiro das Trevas conhece um novo vilão, denominado Capuz Vermelho, que tenta tomar o controle do submundo das drogas em Gotham City, entrando em conflito direto com o Máscara Negra. Esse vilão era na verdade Jason Todd, inexplicavelmente vivo. Embora no início pareça um embuste, vários testes provam que Jason Todd realmente está vivo, e o mistério persiste até hoje.

A série de 1993 “A Queda do Morcego” mostrou um Bruce Wayne cansado, quase doente, quando é seriamente contundido em uma batalha com Bane (um novo vilão) e um novo herói, Azrael, é chamado para vestir o manto do Morcego. Conforme o tempo passa, Azrael fica extremamente violento. Um ano depois, Bruce Wayne, curado, derrota Azrael e recupera o manto do Batman.

Em 1998, Gotham City, já enfraquecida após os acontecimentos em “Contágio” (ver Histórias que Marcaram a Vida de Batman), sofreu com um “Terremoto”, que privou Batman da tecnologia, forçando-o a se conectar com seu lado mais místico. Gotham foi reconstruída ao final de “Terra de Ninguém”. Em 2003, durante a saga “Silêncio”, Batman revela sua identidade secreta à Mulher-Gato, com quem começa um romance. O romance não dura muito, e acaba detonado pelo senso de desconfiança do Homem-Morcego.

    Comissário Gordon

Apesar de sua luta contra os criminosos ser uma empreitada solitária, Batman encontrou quem compartilhasse de sua busca por justiça: o Tenente James Gordon, um dos poucos policiais honestos na cidade de Gotham. Inicialmente caçador do Homem-Morcego, Jim Gordon mudou de idéia quando viu o Cavaleiro das Trevas se esforçar para salvar a vida de um inocente durante uma violenta perseguição policial. Logo Gordon tornou-se Comissário de Polícia de Gotham City e oficializou a ajuda de Batman, usando o famoso Batsinal para chamá-lo quando necessário.

           Personalidade

Como Superman, a personalidade de Bruce Wayne variou conforme o passar do tempo. As histórias mais novas preferem mostrá-lo como um playboy preguiçoso, sendo o Batman, com uma personalidade forte e sombria, a personalidade dominante, a “verdadeira” identidade do bilionário. Já as versões mais antigas apresentam um Bruce Wayne mais maduro e responsável, sendo Bruce a personalidade dominante. Wayne guarda seu segredo muito bem, e apenas poucas pessoas sabem que ele é o Batman (ou o Batman é ele, se preferir). Alguns vilões descobriram sua identidade ao longo dos anos, como Ra’s Al Ghul, Hugo Strange, o Charada, Bane e Silêncio (Thomas Elliot, antigo amigo de infância de Bruce Wayne).

 

          Bruce Wayne

Para quem não o conhece, Bruce Wayne é um playboy irresponsável e superficial que vive da fortuna herdada dos pais (conquistada quando os pais de Bruce investiram em Gotham antes de a cidade tornar-se uma grande metrópole) e dos lucros obtidos pelas Empresas Wayne, uma grande empresa no ramo da tecnologia de ponta. Contudo, Wayne também é conhecido por suas contribuições para caridade, especialmente através da Fundação Wayne, fundação dedicada a ajudar vítimas de crimes e prevenir que pessoas tornem-se criminosas. Essa personalidade de Bruce Wayne foi inventada por ele para evitar que alguém desconfiasse de seu alter-ego, às vezes fingindo-se bobo e egoísta para que ninguém o descubra. Batman deixou claro que considera manter sua identidade secreta prioridade máxima, chegando a ficar perto da morte várias vezes para evitar mostrar suas habilidades em público como Bruce Wayne.

Na nova série dos quadrinhos Batman R. I. P, Bruce Wayne foi dado como morto e o cargo de Batman ficou vago. Existem pelo menos quatro concorrentes ao posto: Jason Todd, Dick Grayson, Tim Drake e Damian Wayne, o filho de Bruce Wayne. O proximo Batman sera revelado na proxima minissérie: Batlle for the cowl.

     Batman

Bruce Wayne criou o Batman para causar medo no submundo de Gotham e para defender os inocentes. O uniforme e a maneira como age quando o usa têm o objetivo de intimidar seus adversários. Enquanto Bruce Wayne é despreocupado e irresponsável, Batman é frio, determinado e implacável. Além do uniforme e da personalidade, Bruce Wayne também altera sua voz significativamente quando torna-se Batman, tanto para disfarçar como para intimidar.

Na verdade, Batman é a personalidade real na mente de Bruce Wayne. Em alguns momentos isso ficou bem claro. Em uma história em quadrinho, Alfred pediu para que ele tirasse a máscara para ficar mais a vontade, Batman retrucou: “As vezes eu fico mais a confortável de máscara”. Num episódio de Batman do futuro, ficou claro que ele mesmo quando pensa, a sua subconciência o chama de Batman. Mostrando que Batman que é a verdadeira personalidade e Bruce wayne apenas uma fantasia.

Batman costuma atuar apenas pela noite (e não durante o dia, como no seriado dos anos 1960), imitando os hábitos dos morcegos. Em histórias mais recentes, surgiu a idéia de Batman como uma lenda urbana.

      Batman R.I.P
Durante seus anos de heroismo Batman veio a perceber que precisava estar a frente dos vilões caso algum tentasse atacá-lo mentalmente, por isso procurou ajuda do Dr.Simon Hurt para ser submetido a um novo experimento de isolação, durante o qual e sem o conhecimento do morcego Hurt implantou um gatilho hipnótico, que seria capaz de destruir a mente de Batman caso fosse utilizado. Anos depois Bruce Wayne aproveita seu relacionamente com Jezebel Jet quando começa a receber ameaças de alguém que conhece sua identidade. Logo é descoberta a existência da Mão Negra, um grupo dedicado a dominar gotham e liderado pelo Dr.Hurt, enquanto isso James Gordon recebe uma chocante informação: Thomas Wayne não está morto; de acordo com relatorios de um detetive particular o pai de Bruce era esquizofrênico e falsificou a propria morte para se livrar da esposa, e pior ainda ele pode ser Simon Hurt… Confrontado por vários ataques, inclusive diretamente na Batcaverna, Bruce Wayne luta para proteger sua família. Mas assim que ouve o gatilho deixado por Hurt tanto ele como Batman deixam de existir, agora quem toma o controle é o Batman de Zur-en-Arrh, uma personalidade completamente insana cujo unico objetivo é resgatar Jezebel que é mantida refém no Arkham. Mas após ele entrar no predio e confrontar o coringa a jovem supermodelo mostra também parte da Mão Negra. Derrotado Batman é enterrado vivo e deixado para morrer. Mas mente do Cruzado Encapuzado mais uma vez prova ser superior a seus inimigos quando o radio transmissor quebrado, que sua parte insana carregava como amuleto, envia um sinal a Batcaverna para trancar o Arkham, enquanto o proprio morcego já recuperado escapa da tumba (ele já sabia de todos os planos do grupo inclusive o involvimento de sua amante). Presos os membros da Mão negra são derrotados por Robin e Asa Noturna enquanto Batman persegue Hurt até o helicoptero no telhado. Na luta que se segue os dois aparentemente morrem na queda da aeronave.

Batman: Descanse em Paz (2009)
Durante um curto período de paz em Gotham City, Bruce Wayne faz novas viagens para entender a mente do Coringa; o Joker em Portugal;, participando de altas experiências de meditação e isolação. Em uma dessas experiencias, o Thorgal, conhece o maléfico Dr. Simon Hurt, que instala uma frase-gatilho no homem morcego sem que este perceba. Em sua volta a Gotham, conhece a maravilhosa Jezebel Jet, que é governadora de um país e começa a se envolver em um caso grande chamado Luva-Negra, que envolve um antigo filme de um conhecido dos falecidos pais de Bruce, que tem o mesmo nome do caso e o Dr. Hurt. Bruce, enquanto avança em seu namoro com Jezebel, Tim Drake se sente perturbado com a ideia de um filho de mesmo sangue que seu mentor e da bela Tália Al-Ghul.
No Arkham, um dos doutores diz ao Coringa para que se preparem pois uma facção criminosa dominará o Arkham e planeja a morte do Batman. Batman começa a ficar muito envolvido com o caso do Luva Negra, enquanto o Dr. Hurt prepara um “clube de vilões”, conhecidos como Luva Negra, para derrotar definitivamente o Batman, em um golpe que envolve o Asilo Arkham e o Coringa.

Durante uma visita de Jezebel à Bat-Caverna, a frase-gatilho do Dr. Hurt, Zur-en-Arrh é acionada durante uma falha no Bat-Computador, e causa um colapso nervoso no Cavaleiro das Trevas, enquanto membros da Luva Negra invadem a Bat-Caverna e raptam Jezebel (Kraken e LeBossu), e estes tomam o controle da Mansão Wayne.
Paralelamente a isso, Tim Drake é perseguido por outros membros do Luva Negra em Gothan após solicitar ajuda do Asa Noturna (este, capturado pela Escorpiana, também aliada à Hurt).
Após Alfred ser atacado pelos vilões que invadiram a caverna, Bruce Wayne é jogado as ruas de Gothan após ser drogado pelo Dr. Hurt. Conhece um mendigo que dá ao Bruce um rádio velho que ele diz ser um Bat-rádio.

Zur-en-Arrh

Durante o período de isolamento, Bruce Wayne, dentro de uma caverna, cria uma segunda personalidade para o caso de sua mente ser, ou já ter sido atacada. Ele usa essa nova personalidade após o ataque do Luva Negra, sendo chamado de Batman de Zur-en-Arrh. Para sua nova identidade, Bruce fez com tecidos do lixo, uma nova roupa, vermelha e amarela (em homenagen aos Robins). Também conhece a única parte de sua mente que não entrou em colapso (a única parte racional), que está na forma do Bat-Mirim.

O novo Batman sai pela cidade atrás de uma vingança contra o Luva Negra, passando por tudo que esta a sua frente.

Encontra Charles Calígula, um dos membros do grupo de vilões, e o mata após este revelar que o Luva Negra está em um plano no Arkham e lá, se encontra Jezebel Jet.

Asilo Arkham (Batman: Descanse em Paz)
No Arkham, descobre-se que o Luva Negra organiza, a cada ano, um jantar de apostas a meia noite envolvendo vidas, e que o desse ano, a aposta era entre a morte do Batman ou sua vitória sobre o Coringa. Poucos apostam nesta última opção.
Robin está tentando manter Gothan sobre controle, enfrentando os últimos dois membros do Luva Negra, Viajante e Pierrot, e o Comissário Gordon adentra a Mansão Wayne, que está cheia de armadilhas mortais. Batman invade o Arkham, e chega próximo a cela do Coringa, onde este está solto, esperando pelo confronto com Batman. Em sua cela, Jezebel Jet está presa em uma camisa de força e a cela trancada. Batman e o Coringa se enfrentam e Batman, ao ver Jezebel, tenta adentrar a cela do Coringa para salvá-la, mesmo sendo que a cela está exposta a toxina do Coringa que afeta o Sistema Nervoso do exposto. Depois que Batman entra na cela, começa a ficar atordoado e desmaia, enquanto Jezebel se levanta, já sem a sua camisa de força, e descobre-se que ela está do lado do Luva Negra.

 O Ultimo voo do Morcego

Batman acorda, em sua melhor roupa, com sua consciência perfeita, em uma camisa de força, dentro de um caixão embaixo de 300 kg de terra, enquanto os apostadores do Luva Negra clamam para que o anfitrião, Dr. Hurt, não tenha terminado, pois querem ver o Batman sofrer mais. Ao voltarem para a sobremesa, vem o Coringa à mesa, no asilo, e lhe perguntam por que ele ainda não foi embora, sendo que o Arkham estava todo aberto. Ele lhes responde que quer ver o Batman (e que tem certeza) se levantar e caçá-los todos. O Coringa lhes entrega o rádio que Batman ganhou do mendigo e hoje está em uma ambulância. Enquanto um dos presentes analisa o rádio, descobrem que ele não recebe, mas ENVIA sinais (que são recebidos pelo Bat-Computador na Torre Wayne, que acionam o Sistema de Segurança do Arkham, que trava todas as portas do asilo, desliga a força e chama a polícia), e assim, os membros da Luva Negra ficam trancados a própria sorte, enquanto Batman se levanta do túmulo.

Na sala de lobotomia onde Asa Noturna está preso e anestesiado, LeBossu entra na sala com a face rasgada pelo Coringa, e, um segundo antes que este corte a face de Dick, ele levanta, sai da sala e tranca todos lá dentro (Bossu e Escorpiana), e sai para ajudar Batman contra os capangas de Hurt. Na cidade, Robin passa por maus bocados contra os dois membros restantes, e antes de ser morto, recebe a ajuda do Ranger Sombrio e do resto do Clube dos Heróis, que tomam conta da cidade enquanto ele corre para o Arkham.

Na mansão Wayne, Gordon, também segundos antes de ser morto, recebe apoio do filho do Batman, Damian, da Talia al Ghul e dos capangas de Ras al-Ghul sobre comando da Talia, que tomam o controle da mansão e resgatam Alfred na caverna, e se dirigem ao Arkham. No caminho, Damian (no Batmóvel, com Alfred como acompanhante e os capangas de al-Ghul atrás), na ponte de Gotham, passa pela ambulância do Coringa e a joga no rio. Batman, ao acordar, vai atrás dos apostadores. Hurt foge amedrontado em um Helicóptero, enquanto Batman vai atrás dele, Asa Noturna cuida dos membros remanescentes no Arkham, e enquanto descobre-se que Bruce estava preparado com o ataque, que sabia que Jezebel estava envolvida e que não podia impedir, mas apenas confiar nos seus anos de preparação para que pudesse escapar. Batman e Hurt desaparecem em uma coluna de fogo no rio Gotham após a queda do aparelho. Ao redor do fogo, Robin, Alfred, Damian, Talia e seus capangas contam a Gordon sobre um plano de ricos diplomatas para destruir Bruce Wayne e que Batman foi resolver. No telhado do Arkham, Asa Noturna aparece segurando o traje do Batman nos braços.

     Epílogo (Batman: Descanse em Paz/Crise Final)
Batman sobrevive à queda do Helicóptero, diferentemente de Hurt, e diz a Alfred que Hurt lhe disse que o próximo caso do Batman será o último. A Liga chama o Batman para investigar o caso da morte do Deus Órion (Crise Final 1), e, logo depois de decidir investigar na caverna, desaparece. É levado a um local onde um ser que domina o pensamento receberá as memórias de Bruce Wayne e a transmitirá para um exército de clones que lutaram a favor do Império das Trevas. Batman consegue escapar do local.
Seis meses após o incidente no Arkham, LeBossu está prestes a matar um policial, dizendo a seus capangas que Batman e Robin morreram, e, nas costas do policial pendurado na parede, aparece o Bat-sinal, e, na janela do apartamento onde eles estão, Batman e Robin aparecem, enquanto Batman diz que eles nunca morrerão.                                     

        Batman “Morre”
Após escapar, Batman, com uma arma encontrada no laboratório de onde escapou, e a bala que matou Órion em seu cinto, parte para, finalmente, quebrar seu juramento, e usar a arma.
Ele entra na câmara onde Darkseid está controlando o caos (detalhes em Crise Final 5 e 6), e, enquanto este prepara a Sanção Omega para matar Batman, este outro, mais rápido, dá um tiro no deus de Apokolips com a bala que mata deuses. O tirano morre, mas não antes de matar o Batman, que é “pego” pela Sanção.
Com a morte do Batman, Gotham entra na completa loucura. Asa Noturna é obrigado a voltar a Gotham e abandonar os Titans para cuidar do Submundo do crime da cidade e volta a enfrentar o Duas-Caras. Robin cuida de uma guerra de Gangues, de uma presente revolta da Policia pela prisão de dois policiais corruptos. Este também abandona sua equipe, os Novos Titans, para cuidar de Gotham e manter a imagem do Batman perante a sociedade, que não tem conhecimento de sua morte. Jason Todd foge da prisão com a ajunda do Robin. BatGirl, para tentar controlar o crime em Gotham, formará uma nova equipe dos Renegados.

  Batalha pelo Capuz (2010)

Com a morte de Bruce, é preciso um voluntario para se usar o traje do Batman. Durante a ausência do Batman original, as gangues de Gotham passam a aterrorizar a cidade, e além disso, Duas Caras declara guerra ao Pinguin. Tim Drake tenta fazer com que Dick se torne o novo Batman, alertando-o de que alguém nas ruas está usando um dos trajes projetados por Bruce e suas armas e esta matando os criminosos. Além disso, Mascara Negra retorna , liberta todos os detentos do Arkham e explode o asilo. Com a ajuda dos prisioneiros, Mascara Negra ataca Harvey Dent e Pinguin. Em meio a essa confusão, Tim Drake rouba um dos trajes do Batman e parte em busca do Batman assassino. Descobre o esconderijo dele, uma Batcaverna escondida nas ruínas de um Metro. Após salvar Damian de uma emboscada do Crocodilo e da Hera Venenosa, aliados ao Mascara Negra, Dick fica frente a frente com o Batman assassino. Conclui então, que este é Jason Todd. Jason então, fere mortalmente Damian e foge. Dick não tem escolha senão ajudar Damian. Na caverna de Jason, Tim encontra a Mulher Gato, e Jason aparece. A Mulher Gato foge e Jason fere mortalmente Tim. Dick, com a ajuda do Oraculo, rastreia o traje que Tim estava usando e encontra a caverna de Jason. Dick e Jason lutam em um trem do metro e a caverna de Jason começa a desmoronar. Damian com o traje de Robin com a ajuda de um membro do Clube dos Herois, salva Tim da morte, tirando-o da caverna de Jason. Dick e Jason lutam e, no final, Jason se joga no rio de Gotham.
Dick então, decide assumir o posto de Batman.

     Fósforos Malone

Fósforos Malone foi um bandido vulgar que certa vez atuou como espião para o Batman. Batman ocasionalmente disfarça-se para infiltrar bandos criminosos. Quando Malone foi morto, Batman assumiu sua identidade. Na saga Jogos de Guerra foi revelado que Batman planejava fazer de Fósforos Malone o chefão do crime de Gotham, tendo total controle sobre os criminosos que persegue como Batman.

       Habilidades e recursos    

Batman é um humano que não possui quaisquer habilidades sobre-humanas, mas é um atleta incomparável, habilidoso em todas as formas de combate físico, o maior detetive do mundo, mestre em fugas e disfarces. O cinto de utilidades contém ampla gama de dispositivos, tais como lasers, cápsulas de gás, cordas e batrangs. Batman ainda possui veículos dotados de equipamentos de última geração, como o batmóvel, batplano, batlancha e o batwing. Aproveitando dos avanços tecnológicos de sua empresa, Waynetech (das Empresas Wayne), não é raro ver o Batman testando novos dispositivos. Na batcaverna, Batman pode ainda contar com um supercomputador, e no novo desenho O Batman conta ainda com o batwave, que o liga com a batcaverna esteja onde estiver.

Armas: Batman tem como armas apenas o que é preciso em uma rotina de um herói noturno, no seu cinto de utilidades possui alguns bat-bulmerangues, batarangues bem afiados, bombas de gás, bat-corda que agüentam mais de 150 kgs, sua máscara assim como seu traje são à prova de balas, feitos de um material bem resistente chamado Kevlar, sua roupa e sua capa são feitas de Nomex, material resistente ao fogo.

        Fraquezas

Exatamente por ser um humano comum (uma característica rara em super-heróis), o Batman pode se ferir em combate, mas na maioria dos casos pode contar com seu fiel mordomo, Alfred, formado em medicina de guerra e que também o ajuda a resolver muitos dos casos em que Batman se envolve.

Devido ao seu trauma de infância, o Batman não tem o costume de se envolver emocionalmente com ninguém. Sua desconfiança em tudo e todos o afastou até mesmo dos grandes heróis com os quais já lutou lado a lado muitas vezes, como o Superman, e isso às vezes é usado pelos vilões como um modo de isolar o Cavaleiro das Trevas.

        Aliados

Alfred Pennyworth, o mordomo, é o mais importante aliado do Batman, parecendo, às vezes, ser o Batman do Batman. Parece haver alguma ligação do mordomo dos Wayne com a Scotland Yard, e às vezes Alfred dá algumas dicas subliminarmente para o Batman ou a dupla dinâmica. Alfred ainda tem formação em medicina de guerra, sendo extremamente útil para o Cruzado Encapuzado quando se fere. Alfred também fez teatro na Inglaterra e consegue imitar a voz de Bruce Wayne, que em algumas vezes foi muito útil para criar um álibi ao herói.

Robin, o menino prodígio (Robin é apenas um menino), é o parceiro oficial do Batman. Já houve quatro Robins, cinco se contarmos o Robindo futuro mostrado em O Cavaleiro das Trevas: Dick Grayson, o Robin original que depois tornou-se Asa Noturna; Jason Todd (morto pelo Coringa em Morte em Família, por decisão do público); Tim Drake, o Robin atual; Stephanie Brown, antes a Salteadora, tornou-se Robin depois de uma breve saída de Tim Drake. Em jogos de Guerra, tentando por em prática o plano de domínio do submundo do crime em Gotham, criou uma guerra entre gangues na cidade e acabou sendo morta na mesma; e Carrie Kelly, a Robin da mini-série O Cavaleiro das Trevas.

Comissário Gordon, maior aliado de Batman na luta contra o crime em Gotham, acionando o Batsinal sempre que julga necessária a ajuda do Homem-Morcego; Barbara Gordon, filha do Comissário, apareceu primeiro como Batgirl, mas perdeu os movimentos das pernas depois de levar um tiro dado pelo Coringa em A Piada Mortal e agora ajuda os heróis como a hacker de computadores conhecida como Oráculo (Oracle); e Lucius Fox, que trabalha como diretor das Empresas Wayne e cuida de tudo no lugar de Bruce, deixando-lhe maior tempo livre para o combate ao crime.

Há ainda muitos outros nomes, como Cassandra Cain, a nova Batgirl; Jean-Paul Valley, conhecido por Azrael, que substituiu Bruce durante sua recuperação na saga Queda do Morcego; entre muitos outros nomes.

   Vilões

Nos anos 1930 e 1940, temos o Coringa (Joker), o palhaço louco, assassino e psicótico; a sensual Selina Kyle, a Mulher-Gato; Oswald Chesterfield Cobblepot, o Pingüim; o ex-promotor Harvey Dent, hoje conhecido como Duas-Caras; o Chapeleiro Louco; o terrível Edward Nygma, o Charada; Espantalho, o senhor do medo.

Nas décadas de 1950 a 1970, temos o surgimento de Victor Fries, o Senhor Frio; Hera Venenosa; Ra’s Al Ghul, possivelmente o maior vilão que o Batman já enfrentou e recentemente voltando a evidência em razão do êxito do filme Batman Begins.

Na década de 1980, temos Killer Croc (Crocodilo); Máscara Negra; e o ventríloquo Arnold Wesker e seu boneco Scarface.

Bane e Harley Quinn surgiram na década de 1990, e, mais recentemente, o Silêncio.

Outros vilões também estão presentes nos quadrinhos e nas séries de desenhos animados de Batman, como por exemplo: o Pistoleiro, Cara-de-Barro, Morcego Humano, Vagalume (DC Comics) e o segundo Robin (Jason Todd), que é assassinado pelo Coringa e renasce sob a máscara de Capuz Vermelho.

         Elseworlds

Trilogia Batman & Drácula: Chuva Rubra / Tempestade de Sangue / Bruma Escarlate, escrita por Doug Moench e desenhada por Kelley Jones, com arte-final de Malcom Jones III e Les Dorscheid no primeiro capítulo e John Beaty nos dois últimos.

Série O Reino do Amanhã (Kingdom Come) com texto de Mark Waid e traços realistas de Alex Ross. Nessa mini-série de 4 edições é mostrado um Batman diferente e envelhecido, mas nem por isso menos brilhante. A saga é considerada um marco na história da DC Comics. Em 2004, ganhou uma republicação pela Panini Comics, numa única edição encadernada, contendo todas as 4 edições da mini-série mais uma história inédita.

Batman é provavelmente o personagem que já estrelou mais edições de Elseworlds. Já foi retratado como um cavaleiro medieval, um burguês do século XIX e mesmo num futuro cibernético no qual enfrentava um vírus de computador chamado Coringa (na história Digital Justice). Isto se deve provavelmente à maior facilidade de adaptar a base de sua história a outros cenários, visto se tratar de um ser humano normal, sem poderes.

 

       Batman em outros meios

Televisão

De 1966 a 1968, uma série com a estrela Adam West como Batman e Burt Ward como Robin. A série tinha mais preocupação com o humor (equipamentos como “bat-repelente de tubarão”, onomatopéias- SOC!, POW! – nas lutas, os “santa (…), Batman!” de Robin).

 Cartoon

Anos 60 – The Batman/Superman Hour
Anos 70 – Super Amigos
Anos 70 – The New Adventures Of Batman
Anos 80 – Super Powers: Galactic Guardians
Anos 90 – Batman: The Animated Series
Anos 90 – Batman: Gotham Knights
Século XXI – Batman Beyond (Batman do Futuro)
Século XXI – Liga da Justiça
Século XXI – The Batman.
Século XXI – Batman: The Brave and the Bold (Batman: Os Bravos e Destemidos

Anime

Artigo principal: Batman: Gotham Knights
2008 – Batman: Have I Got A Story For You
2008 – Batman: Crossfire
2008 – Batman: Field Test
2008 – Batman: In Darkness Dwells
2008 – Batman: Working Through Pain
2008 – Batman: Dead Shot

Cinema

O Morcego (The Batman) – 1943: Diretor: Lambert Hillyer / Elenco: Lewis Wilson (Batman/Bruce Wayne), Douglas Croft (Robin/Dick Grayson), J. Carrol Naish (Dr. Daka), William Austin (Alfred), Shirley Paterson (Linda), Charles C. Wilson (Capitão Arnold) e Charles Middleton (Ken Colton)

 

lewis_wilson

 

A Volta do Homem Morcego (Batman and Robin) – 1949: Diretor: Spencer Bennet / Elenco: Robert Lowery (Batman/Bruce Wayne), John Duncan (Robin/Dick Grayson), Jane Adams (Vicki Vale), Lyle Talbot (Jim Gordon), Don Harvey (Nolan) e William Fawcett (Prof. Hammil)

 

 

Batman:O Homem Morcego (Batman – The Movie) – 1966: Diretor: Leslie H. Martinson / Elenco: Adam West (Batman/Bruce Wayne), Burt Ward (Robin/Dick Grayson), Lee Meriwether (Mulher-Gato), Cesar Romero (Coringa), Burgess Meredith (Pingüim) e Frank Gorshin (Charada)

 

 

Batman (Batman) – 1989: Diretor: Tim Burton / Elenco: Michael Keaton (Batman/Bruce Wayne), Jack Nicholson (Coringa), Kim Basinger (Vicki Vale), Michael Gough (Alfred Pennyworth) e Pat Hingle (Jim Gordon) e Billy Dee Williams (Harvey Dent)

Batman: O Retorno (Batman Returns) – 1992: Diretor: Tim Burton / Elenco: Michael Keaton (Batman/Bruce Wayne), Danny DeVito (Pingüim), Michelle Pfeiffer (Mulher-Gato), Michael Gough (Alfred Pennyworth) e Pat Hingle (Jim Gordon)

Batman Eternamente (Batman Forever) – 1995: Diretor: Joel Schumacher / Elenco: Val Kilmer (Batman/Bruce Wayne), Chris O’Donnell (Dick Grayson/Robin), Tommy Lee Jones (Duas-Caras), Jim Carrey (Charada), Nicole Kidman (Dra. Chase Meriddian), Michael Gough (Alfred Pennyworth) e Pat Hingle (Jim Gordon)

Batman & Robin (Batman & Robin) – 1997: Diretor: Joel Schumacher / Elenco: George Clooney (Batman/Bruce Wayne), Chris O’Donnell (Dick Grayson/Robin), Alicia Silverstone (Barbara Wilson/Batgirl), Arnold Schwarzenegger (Sr.Frio), Uma Thurman (Hera Venenosa), Jeep Swanson (Bane), Michael Gough (Alfred Pennyworth) e Pat Hingle (Jim Gordon)

Batman Begins (Batman Begins) – 2005: Diretor: Christopher Nolan / Elenco: Christian Bale (Batman/Bruce Wayne), Michael Caine (Alfred Pennyworth), Cillian Murphy (Espantalho), Liam Neeson (Henry Ducard), Ken Watanabe (Ra’s Al Ghul), Gary Oldman (Jim Gordon), Katie Holmes (Rachel Dawes), Tom Wilkinson (Carmine Falcone) e Morgan Freeman (Lucius Fox)

Batman – O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight) – 2008: Diretor: Christopher Nolan / Elenco: Christian Bale (Batman/Bruce Wayne), Michael Caine (Alfred Pennyworth), Heath Ledger (Coringa), Aaron Eckhart (Duas-Caras/Harvey Dent), Gary Oldman (Jim Gordon), Maggie Gyllenhaal (Rachel Dawes), e Morgan Freeman (Lucius Fox)

 

          Video games

Batman para Amstrad PCW, 1985.

Batman: The Caped Crusader para várias plataformas de 8-bits e 16-bits

Batman para Sega Mega Drive, NES, Atari Lynx, Commodore Amiga, ZX Spectrum, Game Boy e PC.

Batman: Return of the Joker para NES e Game Boy.

Batman Returns para NES, Super NES, Mega Drive, Sega CD, Sega Game Gear, and Lynx.

Batman: The Animated Series para Game Boy e Game Gear.

The Adventures of Batman & Robin para Super NES, Mega Drive, Sega CD, e Game Gear.

Batman Forever para Super NES, Game Boy, Sega Mega Drive, e Sega Game Gear.

Batman Forever: The Arcade Game para Arcade, PlayStation e Sega Saturn.

Batman & Robin para PlayStation.

Batman: Total Chaos para Game Boy Color.

Batman Beyond: Return of the Joker para Nintendo 64 e PlayStation.

Batman: Vengeance para GameCube, PlayStation 2, PC, Xbox, Game Boy Advance e Microsoft Windows.

Batman: Rise of Sin Tzu para PlayStation 2, Xbox, GameCube e Game Boy Advance.

Batman: Dark Tomorrow para PlayStation 2 (cancelado), Xbox, e GameCube.

Batman Begins para PlayStation 2, Xbox, GameCube e Game Boy Advance.

Lego Batman: The Video Game Para Wii, Nintendo DS, Playstation 3, Xbox 360, Playstation 2, Microsoft Windows e PlayStation Portable.

The Dark Knight (cancelado) Para PlayStation 3 e Xbox 360.

Batman: Arkham Asylum para PlayStation 3, Xbox 360 e Microsoft Windows

 

      Interpretações homossexuais

A controvérsia tem surgido sobre várias interpretações sexuais feitas sobre o conteúdo de quadrinhos do Batman nas primeiras décadas. Interpretações homossexuais têm sido parte do estudo acadêmico do Batman desde psicólogo Fredric Wertham afirmou em seu Seduction of the Innocent , em 1954, que “as histórias de Batman são psicologicamente homossexual”. Ele afirmou, “O tipo de Batman história pode estimular crianças a homossexuais fantasias , da natureza do que pode ser inconsciente. ” Wertham escreveu: “Só alguém ignorante dos fundamentos da psiquiatria e da psicopatologia do sexo pode deixar de perceber uma atmosfera sutil de homoerotismo que permeia as aventuras do maduro ‘Batman’ e seu jovem amigo ‘Robin’ “.
Andy Medhurst escreveu em seu ensaio de 1991, “Batman, desvio e Camp” que Batman é interessante para o público gay, porque “ele foi um dos primeiros personagens fictícios para ser atacados em razão de sua homossexualidade presumida”, “a série de TV dos anos 1960 permanece uma pedra de toque do acampamento, “e” [ele] análise méritos como uma construção notavelmente bem sucedida de masculinidade

 


Criadores associados com o caráter manifestaram as suas próprias opiniões. Escritor Alan Grant declarou: “O Batman que eu escrevi há 13 anos não é gay. Batman Denny O’Neil, Marv Wolfman ‘s Batman, Batman de todos por todo o caminho de volta para Bob Kane … nenhum deles escreveu-o como um personagem gay. Apenas Joel Schumacher poderia ter tido uma visão oposta. ” Escritor Devin Grayson comentou, “Depende de quem você perguntar, não é mesmo? Desde que você está me perguntando, eu vou dizer não, eu não acho que ele é … Eu certamente compreender as leituras gays, no entanto. ”   Enquanto Frank Miller descreveu a relação entre Batman e Coringa como um ” homofóbico pesadelo “,   ele vê o personagem como sublimar seu sexuais em crimefighting, concluindo: “Ele seria muito mais saudável se fosse . gay ”   Burt Ward , que interpretou Robin na série de televisão dos anos 1960, também comentou sobre esta interpretação em sua autobiografia Wonder Boy: My Life in Tights, ele escreve que a relação poderia ser interpretado como um sexual, com a show de duplos sentidos e acampamento pródigo também possivelmente oferecendo interpretação ambígua.
Tais interpretações homossexuais continuam a atrair a atenção. Um exemplo notável ocorreu em 2000, quando a DC Comics se recusou a permitir que a permissão para a reimpressão de quatro painéis (de Batman # 79, 92, 105 e 139) para ilustrar o papel de Christopher York, Tudo em Família: Homofobia e Batman Comics na década de 1950.  Outro aconteceu no verão de 2005, quando o pintor Mark Chamberlain exibida uma série de aquarelas retratando tanto Batman e Robin em sugestivo e poses sexualmente explícito.  DC ameaçada tanto artista e Kathleen Cullen Fina galeria de artes com ação legal se eles não deixam vender as obras de arte e exigiu todo restante, bem como de quaisquer lucros deles derivados. 

 


Será Brooker argumenta em Batman Unmasked: Analisando um ícone cultural,  que uma leitura estranha de Batman é uma interpretação válida, e que os leitores homossexuais seria naturalmente sentir-se atraídos para o estilo de vida retratado dentro, se o personagem de Bruce Wayne mesmo é explicitamente homossexual ou não. Ele também identifica um elemento homofóbica para o vigor com que o fandom dominante rejeita a possibilidade de uma leitura homossexual do personagem. Na edição de abril de 2012 da Playboy , muito tempo Batman escritor desde 2006 Grant Morrison referido Batman como:. “. Gayness é construído em Batman eu não estou usando gay no sentido pejorativo, mas Batman é muito, muito gay Simplesmente não há negá-lo. Obviamente, como um personagem de ficção, ele tem a intenção de ser heterossexual, mas a base de todo o conceito é totalmente gay. Acho que é por isso que as pessoas gostam dele. Todas essas mulheres a fim dele e todos eles usam roupas de fetiche e pular telhados para chegar para ele. Ele não se importa, ele está mais interessado em sair com o velho eo menino “.  Com base nesse, um artigo de opinião Comics Alliance intitulado O Gayness de Batman discutiu a questão das leituras homossexuais do personagem , citando o seu relacionamento com o Coringa extravagante como “uma distorção monstruosa do conflito entre o armário ea cena”. 

 

Ficheiro:1960s Batmobile (FMC).jpg
Batmóvel da década de 1960

 

Batmóvel

O Batmóvel (Batmobile, no original) é o automóvel utilizado por Batman nas produções inspiradas nos quadrinhos da DC Comics. O Batmóvel aparece como meio de transporte do herói desde os primeiros quadrinhos e seriados. Fica guardado em uma das alas da Batcaverna, na Mansão Wayne.
O Batmóvel fez sua primeira aparição em Detective Comics #27, lançada em 1939. Era um simples sedan e ainda não tinha nome definido, sendo chamado apenas de Carro. Nas era seguintes, o Batmóvel foi ganhando cores e tecnologia e passou a ser um dos veículos mais modernos e famosos da mídia. 


Batmóvel do Batman Returns

Batmóvel do Batman Forever


Batmóvel do Batman Begins

 


Batmóvel O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight)

 

      Batman (revista em quadrinhos)


O personagem Batman foi o protagonista de diversas publicações em Brasil, Portugal e diversos outros países, assim como em seu país de origem, os Estados Unidos da América. Nas publicações estrangeiras eram reunidas e traduzidas as histórias do personagem originalmente lançadas nos EUA. Em diversas vezes, as séries não prosseguiram em sua numeração por muito tempo (seja pela saída da editora do mercado, seja pelo cancelamento). Atualmente, Batman é publicado no Brasil pela Editora Panini.


Publicação nos Estados Unidos
O personagem Batman teve a sua estréia em Detective Comics #27, publicado em Maio de 1939. O herói tornou-se tão popular que ganhou o seu próprio título mensal, tendo a sua primeira edição lançada em 25 de Abril de 1940. O título começou com a periocidade de uma edição a cada quatro meses, e posteriormente a cada dois meses durante a década de 50, e finalmente chegando até os dias atuais de forma mensal. A série atingiu em Junho de 2006 a edição #654, e vêm sendo publicada até dos dias atuais
.

 

 


Publicações Brasileiras

Batman fez sua estréia no país em Dezembro de 1940 no suplemento Lobinho 7 publicado pela editora Grandes Consórcios de Suplementos Nacionais do jornalista Adolfo Aizen. Em 1945, passa a ser publicado na revista O Guri dos Diários Associados  e logo em seguida em O Globo Juvenil do jornal O Globo , em Mírim de Grandes Consórcios   e em Shazam do O Globo, revista do Capitão Marvel (que na época ainda pertencia a Fawcett Comics) e Superman da EBAL (outra editora criada por Adolfo Aizen)

Série da editora Ebal
Primeira Série (1953-1961)

A EBAL inicia o primeiro título solo do Batman em Março de 1953 . A série era publicada em formato americano, em preto e branco, e teve a numeração interrompida no número 100, em Junho de 1961
.

     Segunda Série (1961-1969)
Seguindo uma das políticas editoriais da EBAL, o título do Batman teve a numeração reiniciada (de modo geral, a numeração voltava ao número 1 logo após a edição 100 dos títulos mensais), tendo a sua primeira edição lançada em Julho de 1961. A série continuou a ser publicada mensalmente nos mesmos moldes da série anterior, até chegar à centésima edição, em Outubro de 1969.
Terceira Série (1969-1977)
Essa série teve a sua primeira edição lançada logo após o fim da outra, em Novembro de 1969. A série continuou a ser publicada mensalmente em preto-e-branco e com formato americano, mas, ao contrário das duas séries anteriores, essa teve a sua numeração interrompida na edição de número 89, em Março de 1977.
Quarta Série (1977-1979)
A última série do homem-morcego pela EBAL teve o seu primeiro número lançado em Abril de 1977. Durante essa época, o mercado de HQs estava com sérias quedas nas vendas, principalmente na Década de 70. A sua última edição foi a número 17, publicada em Dezembro de 1979
.
BATMAN 01 BATMAN 02
BATMAN 03 ....CAPA ENVIADA POR LENIMAR BATMAN 04

 


Série Formatinho (1976-1983)
Embora pudesse ser considerada uma Quarta Série do Batman pela EBAL, essa série (que começou a ser publicada paralelamente com a terceira, e também com a Quarta) é mais conhecida como “Série Formatinho”, por conta do formato diferente das demais séries (nessa época, a editora passou a publicar boa parte de seus títulos nesse formato, com exceção das edições especiais de luxo)  . Ela teve a sua primeira edição lançada em Junho de 1976 (quando a terceira série estava na edição 80), e terminou de forma definitiva com os títulos do Batman no número 70, em Outubro de 1983 (mês em que foram publicadas as últimas edições dos super-heróis da DC Comics pela EBAL)
.

         Série da editora Abril
Primeira série (1984-1985)
Ao iniciar as publicações da linha DC Comics, a Abril lançou essa série, em Julho de 1984, com diversos outros personagens que dividiam o espaço da publicação. Teve poucas edições lançadas antes de seu cancelamento, já no ano seguinte, com 10 edições publicadas. a mini-série Camelot 3000 teve seus primeiros números publicados nessa revista.
Segunda série (1987-1988)
Após o lançamento da histórica mini-série O Cavaleiro das Trevas, Batman ganhou uma segunda série no Brasil (que teve o primeiro número lançado em Setembro de 1987, com 84 páginas e formatinho. Entre outros eventos, essa série mostra Dick Grayson deixando de ser Robin, e a estréia de Jason Todd (o segundo Robin), em sua versão Pós Crise nas Infinitas Terras. Apesar de ter tido mais edições que o anterior, este também foi cancelado com pouco mais de um ano de publicação, no número 16, em Dezembro de 1988.
Terceira série (1990-1992)
Essa nova tentativa veio durante a enorme repercussão do primeiro filme do Batman nas telas do cinema. Contando com o formato americano e 52 páginas, o título publicava histórias do escritor Alan Grant (que escrevia o título Detective Comics na época) e de Marv Wolfman (que escrevia Batman). O título mostrou as repercussões do surgimento do terceiro Robin (que estreou no título Os Novos Titãs, que também estava sendo escrito por Marv Wolfman). Com mais de dois anos de publicação, a revista iniciou-se na edição # 00 (publicada como um encarte em Superalmanaque DC # 01, em Janeiro de 1990), tendo sua última edição no # 29 (em Julho de 1992).
Quarta série (1994-1996)
Durante a época de mega-eventos nos anos 90, o Batman teve a sua Queda, e a editora lançou novamente uma série. Antes dessa ser lançada, Batman já era publicado em Batman e Liga da Justiça. Dessa vez, a série teve uma sobrevida bem maior, tendo sido cancelada por conta da saga chamada Zero hora, no número 19, logo após o fim da Queda do Morcego.
Quinta série (1996-2000)
Logo após Zero Hora, Batman foi lançado a partir do #00 (juntamente com Batman: Vigilantes de Gotham), mostrando diversos eventos e mudanças, até o número 45, em plena saga Terra de Ninguém.
Sexta série (2000-2002)
Essa nova série (chamada Super-heróis Premium) se inicia com formato americano, 160 páginas e papel de qualidade, assim como os demais títulos da Abril na época. Essa série durou 23 edições.
Sétima série (2002-2002)
Nessa última série, que foi parte da linha chamada Planeta DC, as histórias eram quinzenais, com 52 páginas e em formatinho. A tentativa não obteve mutis resultados, tendo durado apenas 5 números, encerrando assim mais de duas décadas de publicações da Editora Abril no setor de Super-heróis.

Série da editora Panini
Primeira série (2002-2012)

batman logo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s