HEAVY METAL HISTORIA E CAPAS DA REVISTA

006

heavy metal historico e capas da revista

Heavy Metal é uma revista em quadrinhos para adultos, que usa temas como a ficção científica e fantasia para fundo das suas histórias. No meio da década de 70, o editor Leonard Mogel estava em Paris para lançar a edição Francesa da revista National Lampoon, ele descobriu a revista Francesa de ciência-fantasia Métal Hurlant que tinha sido lançada em Dezembro de1974 . A tradução do título literalmente é “metal rangente”.
Mogel lançou a versão Americana, alterando o nome para Heavy Metal que começou nos E.U.A. em Abril de 1977 em papel especial (glossy) e full-color com tiragem mensal. Inicialmente, ela mostrava traduções das histórias originalmente publicadas na Métal Hurlant, includindo os trabalhos de Enki Bilal, Jean Giraud (mais conhecido como Moebius), Phillippe Druillet e Phillippe Caza. Mais tarde a revista apresentou trabalhos de Stefano Tamburini e o ultraviolento RanXerox de Tanino Liberatore.

O redatores fundadores da edição americana foram Sean Kelly e Valerie Marchant. O diretor de arte foi John Workman trazendo trabalhos de background da DC Comics e outros editores.
Após dois anos, Mogel sentiu que a falta de material era constante, e em 1979, ele foi substituído por Kelly e Marchant autores de Ted White, que pretendia revitalizar a revista, ampliando os temas da ficção cientifica usando como base as histórias das revistas Amazing Stories e Fantastic (revista) entre 1968 e 1978. White e Workman imediatamente alteraram a aparência de Heavy Metal, incorporando mais histórias e textos de artistas americanos.
A principal solução de White para o problema era adicionar material com textos expressivos em colunas redigidas por quatro autoridades dos vários aspectos da cultura popular. Lou Stathis escrevia sobre rock e Jay Kinney falava sobre quadrinhos underground, enquanto Steve Brown revisava as novelas recentes da ficção cientifica e Bhob Stewart explorava a media visual dos filmes de fantasia, animações e show com raios laser.
Em 1980, Julie Simmons-Lynch tomou a redação, e sua inclinação era para material em texto fazendo da revista um mostruário para o mais conhecidos autores de ficção tais como Robert Silverberg e Harlan Ellison. Mais tarde, uma coluna intitulada “Dossier”, apresentou pequenos pedaços das obra de uma grande variedades de autores, foram editados por Stathis e Brad Balfour. Havia também entrevistas com figuras da media como Roger Corman, Federico Fellini, John Sayles e John Waters (montador filmes). Em 1986, Heavy Metal tornou-se quadrimensal, e voltou a ser bi-mensal em 1989. Simmons-Lynch permaneceu como redatora até 1991 quando Kevin Eastman comprou a revista e se tornou ambos redator e editor.

Em 1981, um filme de animação foi adaptado das séries apresentadas na revista. Criando um rombo de US$9,300,000, Heavy Metal apresentando seguimentos animados de diversas empresas de animação, sendo que cada uma delas fez um segmento. Enquanto um dela fazia a sequencia que amarrou todas as diferentes histórias juntas. Como a revista, o filme apresentou um grande número de nudismo e violência gráfica, acabando com logo de pornografico. Por exemplo, seu segmento Den, ele não mostrou as espalhafatosas genitália do seu personagem impresso. O filme lançou talentos como John Candy, Eugene Levy, Harold Ramis e Ivan Reitman em Hollywood. Ele teve um razoável retorno no lançamento em cinema e mais tarde adquiriu o status de cult, parcialmente por causa um problema com os direitos da música que resultou uma demora de muitos anos para o filme se tornar disponível em vídeo.
Outro filme de animação alternativamente chamado de Heavy Metal 2000 e Heavy Metal: F.A.K.K.², como orçamento de $15,000,000, foi liberado em 2000 diretamente para o vídeo não era baseado nas histórias da revista, mas em vez disso no The Melting Pot, uma graphic novel escrita por Kevin Eastman e desenhada por Simon Bisley, que se baseou a aparência da protagonista na modelo pornográfica e em atrizes de filmes B, Julie Strain, a esposa de Kevin Eastman. Strain mais tarde usou seus talentos vocais no filme, caracterizando o personagem que lhe era similar. Também foi lançado um video game, Heavy Metal: F.A.K.K.².
Heavy Metal’ tem uma notável qualidade de desenhos. Trabalhos de grandes artistas como H.R. Giger que fez diversas capas. Terrance Lindall que ilustrou a versão do poema épico de Milton Paradise Lost editados pela revista em 1980 e considerado como a melhor retratação do poema feita no século 20. Muitas histórias foram apresentadas como segmentos em serie, por exemplo as histórias de Richard Corben e Matt Howarth.
Alguns criticos não apreciam o contexto demasiado violento de Heavy Metal e a sua pornografia e argumentam por banir a venda da mesma para proteger as menor de idade. A despeito de tais objeções, a venda de Heavy Metal não esta restrita a adultos nos U.S.A.. A revista atualmente é de propriedade de Kevin Eastman, co-criador de Teenage Mutant Ninja Turtles, que com seu sucesso em vendas em bancas e cinema permitiu a Eastman, o sonho de salvar a revista da ruína. A edições da revista francesa terminaram em 1987. Mas ressurgiram nos E.U.A. em Julho de 2002 sob o nome francês de Métal Hurlant, editada por Les Humanoïdes Associés.

001 002 003 004 005 006 007 008 009 010 011 012 013 014 015 016 017 018 019 020 021 022 023 024 025 026 027 028 029 030 031 032 033 034 035 036 037 038 039 040 041 042 043 044 045 046 047 048 049 050 051 052 053 054 055 056 057 058 059 060 061 062 063 064 065 066 067 068 069 070 071 072 073 074 075 076 077 078 079 080 081 082 083 084 085 086 087 088 089 090 091 092 093 094 095 096 097 098 099 100-1 101-1 102-1 103-1 104-1 105-1 106-1 107-1 108-1 109-1 110-1 111-1 112-1 113-1 114-1 115-1 116-1 117-1 118-1 119-1 120-1 121-1 122-1 123-1 124-1 125-1 126-1 127-1 128-1 129-1 130-1 131-1 132-1 133-1 134-1 135-1 136-1 137-1 138-1 139-1 140-1 141-1 142-1 143-1 144-1 145-1 146-1 147-1 148-1 149-1 150-1 151-1 152-1 153-1 154-1 155-1 156-1 157-1 158-1 159-1 160-1 161-1 162-1 163-1 164-1 165-1 166-1 167-1 168-1 169-1 170-1 171-1 172-1 173-1 174-1 175-1 176-1 177-1 178-1 179-1 180-1 181-1 182-1 183-1 184-1 185-1 186-1 187-1 188-1 189-1 190-1 191-1 192-1 193-1 194-1 195-1 196-1 197-1 198-1 199-1 200-1 201-1 202-1 203-1 204-1 205-1 206-1 207-1 208-1 209-1 210-1 211-1 212-1 213-1 214-1 215-1 216-1 217-1 218-1 219-1 220-1 221-1 222-1 223-1 224-1 225-1 226-1 227-1 228-1 229-1 230-1 231-1 232-1 233-1 234-1 235-1 236-1 237-1 238-1 239-1 240-1 241-1 242-1 243-1 244-1 245-1 246-1 247-1 248-1 249-1 250-1 251-1 252-1 253-1 254-1 255-1 256-1 257-1 258-1 259-1 260-1 261-1 262-1 263-1 264-1 265-1 266-1 267-1

Druuna é o nome de uma personagem e série de ficção científica criada por Paolo Eleuteri Serpieri, lançado originalmente em quadrinhos na revista Heavy Metal1 .

Druuna é um Hq com belos traços, desenhos de anatomia humana feitos com perfeição e aos mínimos detalhes, cenário, enredo e história fantástica. A saga vai de 1985 até 2003, o Hq traz bastante ação e tensão e muito erotismo, com algumas cenas explícitas.

O enredo acontece em um futuro apocalíptico onde uma doença amedronta a todos, um vírus que transforma seres humanos em mutantes; o espírito de porco nos humanos reina, tanto humanos quanto mutantes são pervertidos e covardes, tudo que é de podre e desumano reina nesse ambiente mórbido. Druuna — que é a protagonista — se prostitui para conseguir antibióticos para ajudar seu namorado. Ela perambula pela cidade mórbida, passando por grandes perigos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s